Clareia / Shine on you

Clareia.
Anna Tréa é uma dessas pessoas iluminadas.
Seu primeiro disco nasceu todo solitário. Ela gravou sozinha todas as músicas. Todos os instrumentos. Ela é foda.
A primeira vez que a ouvi, foi por acaso. Se não me engano, foi um desses posts patrocinados do Instagram que mostrava o perfil do MiniDocs.
Foi esse vídeo:

Eu fiquei maluco. Olha ESSE VIOLÃO! É uma quebradeira maravilhosa que ela faz com o instrumento. Na mesma hora fui atrás.
E descobri o disco Clareia.
Baita disco bonito. Sincero.

Daí, um belo dia eu fui assistir, como plateia, o Conversa com Bial.
Meu amigo, Guilherme Lorandi me convidou e eu fui com ele.
Os gêmeos Fábio Moon e Gabriel Bá seriam os entrevistados ao lado do Ivan Reis e da Bilquis Evely (QUE FOI OUTRA INCRÍVEL DESCOBERTA!! Essa moça desenha muito!!)

Enquanto a gente esperava tudo começar, a banda passava o som. E eles tavam passando Daytripper. E a hora que eu olhei a guitarrista, eu tive a impressão de que a conhecia.
Pois é, eu nem sabia disso, mas a Anna é guitarrista da banda do Bial. Esse é um dos únicos problemas de não ter mais televisão. A gente fica completamente alheio a esse universo da “télinha”.

Na mesma noite eu mandei uma mensagem pra ela dizendo da minha ignorância de não saber que ela trampava na “Grobo”.
Enfim, depois de uns papos, ela escreveu uma frase sobre “Semilunar” que foi para a quarta capa. A frase que ela escreveu tem uma brincadeira sutil com o jogo de palavras e com a trama do gibi que eu, mais uma vez pensei: “A Anna é foda!”

E daí ela me convidou para criar algo a respeito do seu disco.
Ela irá fazer uma exposição esse ano (2018) com artistas fazendo obras relacionadas ao álbum “Clareia”.
E eu fiz essa história.
Muda.
Mas cheia de som.

Clareia.

Se quiser ouvir o disco “Clareia”, se liga:

Anúncios