Treino.

Existem momentos em que realmente estou inspirado.
Momentos em que a vontade de tentar transformar tudo em poesia é muito grande e o prazer de buscar as palavras e os traços ideais faz valer muito a pena produzir quadrinhos.
Mas também existem os momentos onde nada disso acontece. Onde o exercício se torna uma necessidade e a inspiração é deixada de lado e é meio que regra ligar o “foda-se” para se desinibir totalmente…e mesmo assim é difícil se desprender das coisas.

Fiz essa pequeniníssíssíssíma história assim. Com intuito de treinar desenho, treinar perspectiva, arte-final, cores e tudo mais.
Por exemplo, nas cores eu usei uma paleta pronta do PS onde havia uma escala reduzida de cores e todas em tons pastéis. Não gostei muito não. Me senti meio limitado. Mas valeu o exercício.

Ao produzir os quadros, eu fui fazendo os ângulos que me davam na telha e não me preocupei muito com a narrativa.
Ao terminar tudo, resolvi escrever um texto para encaixar nos quadros.
Daí comecei em pensar em várias coisas legais para se dizer e até que tava saindo algo legal, mas se fizesse isso, sairia da minha proposta inicial que era o despreendimento.
Então saiu isso.

POBRE_MEDO

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s