Sol.

Tive insolação… De novo.
Foi a segunda vez no ano que me deu essa merda… É ruim demais… E eu fui muito burro de ter deixado isso acontecer novamente.

Andei demais debaixo do Sol bauruense, fui a pé até a República Irmandade Encarnada e lá comecei a passar mal. Cabeça parecia estar fora do corpo. E esse corpo estava quente.
Dia quente. E quem te diz numa hora dessas que você está sob uma insolente insolação?
”Cê tá com fraqueza porque cê come muito pôco…” o Vini me diz.
”É nada cara… Comi um monte já…”
”Ahhhhh… Bebe essa coca estralada… E come feijão…”

Bebi. Comi.
Mas ainda tava muito ruim.
Indo embora pra São Manuel eu nem vi a viagem passar. Passou.
Um pouco antes de me dar febre eu tava tirando uma música no violão.
Biscate. Do Chico.
E são muitos acordes que compõem essa canção.
A noite começa dormindo, mas lá pelas 4 da madrugada acordo tremendo bastante.
E começo a delirar.
Acho que foi a primeira vez que delirei com febre.
E eis que os acordes me acordam num delírio febril e não param de correr pela minha cabeça. Eu lá todo ruim, indo pro hospital tomar soro e a música e os acordes não me deixando relaxar.
F#m7(b5) Fm6 C/E A7/E D7 Dm6 C6 C7
“… Se eu ganhar algum vendendo mate…”

Foi bizarro.
Hoje voltando a pegar a música, pareceu-me ter sentido um calor subindo pelo pescoço.

Vamos pra Bahia, dengo
Vamos ver o Sol nascer
Vamos sair na bateria
Deixe de chilique, deixe de siricotico

Anúncios

Retalhos.


Nesse fim de semana eu peguei novamente pra ler “Retalhos”, a história em quadrinhos do Craig Thompson. E puxa, é demais…demais mesmo…
É uma história muito sensível, singela e que emociona ao ler… Ao menos me emocionou (de novo).

É um história de amor, daí você pensa que é clichê ou que é um romantismo meloso e babaca… Mas não tem nada disso não… É uma história muito gostosa de se “viver”.

Muitas páginas… o cara deve ter morrido ao acabar de desenhar essa HQ… É imensa! E agora saiu a sua nova graphic novel “Habib”. Não consigo pensar nesse nome sem pensar num sfiha de spinafre…na boa…

O desenho dele é lindo e hoje eu vejo que me influencia demais…Ele usa pincel também, mas deixa uns traçados de nanquim seco…Que fica muito,muito foda!
E a narrativa dele também me dá muita inspiração…

Ah sei lá… Tava empoeirando esse blog e resolvi sei lá porque fazer um post…

Noooooossa…Tô enferrujadíssimo pra escrever…